Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

O aumento no preço da gasolina aos consumidores de Salvador foi maior do que o reajuste anunciado pela Petrobras anteontem. A estatal elevou o preço da gasolina nas refinarias em 6,6% desde ontem. Nos postos da capital baiana, no entanto, a gasolina subiu mais: até 7%.

O Hiperposto Sumaré, na Avenida Tancredo Neves, é um exemplo do aumento maior: o litro da gasolina comum, que custava R$ 2,85, na quarta à noite, pulou para R$ 3,05 ontem, ou seja, 7% mais caro.

Se terça (29) o motorista enchia um tanque de 55 litros por R$ 156,75, agora irá gastar R$ 167,75. A diferença de R$ 0,20 no litro custará R$ 11 a cada vez que o cliente encher o tanque no posto. O preço na bomba foi alterado às 14h de ontem (confira tabela com alguns postos ao lado).

Dos dez postos pesquisados pela reportagem do CORREIO, a metade já tinha reajustado o preço da gasolina. Resta de alento aos motoristas o fato de que alguns estabelecimentos ainda vão trabalhar com os preços antigos enquanto durar os estoques. Isso é que o garante o gerente do Posto Sete Portas, Welington Carvalho. 

Nesta quarta (30), Carvalho ainda trabalhava com a gasolina que já tinha e mantinha o preço de R$ 2,77 o litro. Uma diferença de 10% comparado ao combústivel de R$ 3,05 encontrado no Hiperposto Sumaré. “Ainda não recebi a gasolina com o preço novo. Mas quando recebermos, vamos ter que repassar. Acredito que até sexta, os preços já terão mudado”, pontua.

O presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis (Sindicombustíveis), José Augusto Costa, acrescentou que a tendência é essa demonstrada em alguns postos da cidade: vender o estoque antigo e aumentar o preço de acordo com a compra de mais gasolina.
Sobre os reajustes superiores a 6,6%, Costa diz que cada posto está liberado para colocar seu preço. “O que vi é um aumento de 6,7% da gasolina e de 5,4% do diesel pelas distribuidoras”, salienta. Hoje, o diesel já está custando, em média, R$ 2,19 o litro.

Movimento
Atentos, os motoristas aumentaram o movimento nos postos na manhã de ontem. Segundo o técnico em lubrificações Elenislon Brito,  do Posto Mega Berimbau, na Garibaldi, o movimento passou de 300 carros para 350. Na noite de anteontem, quando foi feito o anúncio, as pessoas também movimentaram os postos.

O aposentado Jorge César Santos não aproveitou o preço antigo e abasteceu, ontem, por R$ 2,99 o litro. Por R$ 50, colocou 16,72 litros. Com a gasolina por R$ 2,85, como antes, o consumidor teria comprado 17,54 litros.
“Dá uma diferença grande, porque o carro é 2.0 e consome muito. Nós não vemos estes reajustes na aposentadoria de quem ganha mais que um salário mínimo, por exemplo”, comenta.

Mantega
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou ontem que a alta no preço da gasolina nos postos de combustíveis será de 4% e pode ser absorvida pelo consumidor. Segundo ele, isso aconteceria porque a gasolina recebe uma adição de 20% de álcool, produto com preço menor. “Faz muitos anos que o preço da gasolina está defasado em relação à inflação. É uma pequena correção que não vai atrapalhar ninguém”.
Mantega avalia que as quedas na tarifa de energia e  nos juros  ao longo de 2013 vão “compensar” o aumento dos combustíveis. A Fazenda avalia que a subida nos preços da gasolina e do diesel causará uma alta de 0,16 ponto percentual no acumulado deste ano do IPCA, o principal índice de inflação no país.
Em outros anos,  o governo absorveu altas dos combustíveis nas refinarias com a redução na cobrança da Cide (imposto federal dos combustíveis). Como a Cide está zerada, desta vez o consumidor sentiu o aumento.

Fonte: Correio*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]