Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Por Edinei Dantas

Lendo uma matéria do Jornal Correio* de hoje, lembrei de uma cena de um dos filmes Premonição, que eu não assisti, mas me contaram. (risos)

A matéria conta que uma jovem de 21 anos morreu na noite do último Sábado, 2, em um acidente de carro na PR-182, no oeste do Paraná. Até aí, infelizmente, nada de incomum. Acidentes com vítimas nas estradas brasileiras ocorrem todos os dias. A peculiaridade deste está no fato da jovem não apenas ser de Santa Maria-RS, onde aconteceu a pouco mais de uma semana a tragédia que vitimou até agora 237 pessoas e tem ainda mais de 100 internados, alguns em estado grave. O que me chamou a atenção também é que ela era uma das organizadoras do trágico evento da boate Kiss, mas que não compareceu na festa atendendo ao pedido de seu namorado, que por estar trabalhando, não queria que ela fosse para a boate sozinha. Uma atitude que pode demonstrar ciúmes e possessividade, mas que depois do ocorrido foi vista como a salvação de Jéssica. Por pouco tempo.

Exatamente uma semana depois da tragédia que comoveu o mundo, ela morreu em um acidente de carro junto com o seu namorado Adriano Veber Stefanel, de 20 anos, que possivelmente adiou a morte da amada para morrerem juntos.

Ah! Onde o filme Premonição entra nesta história? Um amigo me contou que em uma das cenas o protagonista salva algumas pessoas marcadas para morrer em um acidente. E no enterro das vítimas a Morte apareceu para o "herói" e disse: "a morte não gosta de ser enganada". E na sequência do filme os sobreviventes foram morrendo 1 por 1.

É a realidade imitando a ficção?

É a ficção imitando a realidade?

Existe mesmo agenda para a morte?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]