Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]




Do Correio*

Final para nem o mais pessimistas dos rubro-negros prever. Com uma vantagem de dois gols construída no primeiro duelo, em Fortaleza, o Vitória recebeu o Ceará na tarde deste domingo (17), no Barradão, começou bem a partida, mas foi surpreendido com uma goleada. O Vozão venceu por 4 a 1, com gols de Magno Alves, Rafael Vaz, Eric e Pingo e tirou do Rubro-negro a vaga na semifinal da Copa do Nordeste, que estava muito próxima da Toca do Leão. O único gol do Vitória saiu dos pés de Maxi Biancucchi.

Eliminado da Copa do Nordeste, depois do golpe fulminante no Barradão, o Leão é obrigado a entrar de molho e só volta a jogar oficialmente na sua estreia no Campeonato Baiano, no dia 20 de março. Na continuidade do torneio regional, o Ceará fará uma das semifinais contra o ASA. O outro finalista será definido entre Campinense e Fortaleza.

Magno Alves, Rafael Vaz, Eric e Pingo marcaram para o Vozão. Biancucchi diminuiu

O jogo
À vontade no início de jogo em casa, o Vitória tomou a iniciativa, partiu para o ataque e deu a impressão que dominaria a primeira etapa no Barradão. Logo aos 7, Nicácio deu o primeiro susto ao receber de Maxi Biancucchi na área, mas não conseguiu dominar e deixou para o goleiro Fernando Henrique. No bom começo de jogo, o Leão chegou a balançar a rede depois que Renato Cajá completou de cabeça no cruzamento de Nino Paraíba, mas o gol foi invalidado pois já havia sido marcada a falta.

Até os primeiros 20 minutos o Vitória detinha o controle da partida, mas a partir daí o Ceará resolveu acordar e surpreendeu. Aos 20', depois do escanteio, Magno Alves subiu no meio da defesa rubro-negra e completou para marcar o primeiro do Vozão. No lance seguinte o Vitória tentou reagir mas o chute de Nino Paraíba depois de invadir a área parou no travessão. O que era o domínio dos donos da casa se transformou na embalada do visitante e o Ceará marcou o segundo aos 25'. Na cobrança de escanteio com jogada ensaida, Rafael Vaz recebeu na segunda trave e não perdoou.

Depois do susto que rendeu dois gols ao Vozão, o Leão perdeu o ritmo de ataque que imprimia antes de ser surpreendido. Mesmo com mais posse de bola, faltou força para diminuir o placar ainda no primeiro tempo.

Precisando marcar para não deixar a vaga escapar, o Vitória começou dando susto no início do segudo tempo. Aos dois minutos, Maxi Biancucchi colocou a bola para Luís Alberto, que invadiu a área e carimbou a trave. O problema rubro-negro é que o lance foi seguido por vacilos da marcação. O primeiro deles, aos 4', rendeu o terceiro gol do Vozão. No lance de velocidade, Eric recebeu na entrada da área invadiu e chutou forte com a esquerda, sem chances para Deola. Os vistantes aproveitaram o embalo e marcou o quarto gol três minutos depois. Gabriel chutou colocado para o gol, Deola deu rebote na defesa e Pingo não perdoou na sobra.

Diante do placar elástico, o Leão ficou em vantagem numérica no gramado depois da expulsão de Eric, aos 14 minutos. Foi preciso de mais tempo para se reabilitar e buscar o resultado. O Vitória só voltou a ter chances aos 29', quando Maxi Biancucchi se apresentou na área, recebeu o passe de Dinei e diminuiu. Outra boa oportunidade, mas dessa vez sem gol, veio aos 32', quando Dinei dominou na entrada da área, chutou colocado mas não foi certeiro e mandou pra fora. No minutos finais da partida, uma penalidade não marcada sobre Dinei ainda rendeu confusão e as expulsões de Renato Cajá e Escudero.

Vitória 1 x 4 Ceará - 2º jogo das quartas-de-final da Copa do Nordeste
Data: 17/2/2013, 16h
Local: Barradão, Salvador
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Assistentes: Jossemmar Diniz Moutinho (PE) e Elan Vieira de Souza (PE)

Vitória: Deola, Nino, Gabriel Paulista, David Braz (Mansur) e Cardoso; Rodrigo Mancha (Marquihos), Luís Alberto, Max Biancucchi, Renato Cajá, Escudero; Marcelo Nicácio (Dinei). Técnico - Caio Júnior

Ceará: Fernando Henrique; Eric, Cleyton (Marlon), Rafael Vaz, Gerley; Diogo Orlando, Gabriel, João Marcos, Ricardinho; Anselmo (Pingo) e Magno Alves (Régis). Técnico - Ricardinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]