Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Foi lançado, na tarde desta sexta-feira, 15 de julho, no Congresso da UFBA, o aplicativo Academo, uma base de dados com mais de dois mil registros de pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA). O desenvolvimento da ferramenta, disponível para acesso através da plataforma web e dos dispositivos móveis (smartphones e tablets) com sistemas operacionais Android e iOS, foi coordenado por Suzana Barbosa, diretora da Faculdade de Comunicação (Facom) e professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas (PósCOM).
“A nossa intenção foi criar um produto que pudesse atender ao modelo de convergência jornalística, com disponibilização e circulação de informações multiplataformas: veículos impressos, web, celulares/smartphones e tablets”, explicou. Segundo Suzana Barbosa, o produto objetiva contribuir tanto para a difusão de informações sobre a produção acadêmica dos docentes da UFBA quanto para a divulgação na área da ciência, tecnologia e inovação no estado.
Academo traz informações gerais sobre o pesquisador, sua área de atuação, se ele possui bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq, unidade de lotação, resumo e link do currículo lattes, site da respectiva faculdade e programa de pós-graduação, grupo de pesquisa, geolocalização da unidade, além de informar telefone e e-mail para contato.
De acordo com a professora, o software pode ser utilizado por jornalistas à procura de fontes para apuração de seus conteúdos noticiosos, estudantes e pesquisadores, dentre outros, em busca de informações sobre os cientistas de todas as áreas do conhecimento da UFBA.
Campo em expansão – Antes do lançamento do Academo, as fragilidades do jornalismo científico na região Nordeste do Brasil e a necessidade da formação dos estudantes de graduação para esta área foram assuntos discutidos na mesa “Divulgação Científica e os Desafios para as Instituições de Pesquisa na Bahia”, moderada pela professora Simone Bortoliero, do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (Pós-Cultura) e coordenadora da Agência de Notícias Ciência e Cultura da Facom.
Participaram da mesa o jornalista Claudio Bandeira, ex-editor de ciência do jornal A Tarde, e o assessor de imprensa da Fiocruz Bahia, Antonio Brotas, que relataram o ponto de vista dos comunicadores, as dificuldades de acesso dos jornalistas às fontes especializadas a partir das redações, a redução do espaço para ciência nas páginas dos jornais, além das limitações das assessorias de comunicação das instituições de ensino e pesquisa e o importante papel de interlocução com a sociedade por meio dos veículos de comunicação.
Também durante o Congresso da UFBA foi lançada uma edição especial do Jornal da Facom em comemoração aos 70 anos da universidade. A publicação funciona como laboratório  da disciplina Oficina de Jornalismo Impresso, oferecida aos estudantes de jornalismo do terceiro semestre, e ministrada pela professora Graciela Natansohn. A diagramação é responsabilidade da professora Carla Risso. De acordo com Graciela, todos os alunos-repórteres compraram a ideia da edição extraordinária e se engajaram para cumprir os prazos. A tiragem da edição especial foi de 5 mil exemplares.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]