Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

 

 Por Edinei Dantas

O policial militar Denisson Rodrigues, de 31 anos, morto durante assalto a uma agência dos Correios no município de São José da Vitória, foi enterrado na manhã desta sexta-feira (22) em Itabuna, no sul da Bahia. Denisson estava na corporação há cinco anos.

Por volta das 10h, o cortejo com o corpo do policial saiu do bairro Sarinha, em Itabuna, para o cemitério Campo Santo. Viaturas da Policial Militar e PMs em motocicletas acompanharam o cortejo. Centenas de pessoas estiveram no enterro, que ocorreu pode volta das 12h30.

Muita comoção pública foi vista nas ruas e no Cemitério pelo Militar que foi executado sem direito de defesa.

Homenagens
Homens, mulheres e crianças choraram durante do enterro do noivo, professor de história e estudante de direito. Minutos antes do corpo ser colocado na gaveta, o pai do PM mesmo sem forças, clamou por justiça e bradou: “Não existe um dia que minha  família não ore por vocês PMs, sei que estão sentindo a minha dor”. 
De acordo com a polícia, três suspeitos do crime foram identificados e são procurados. Câmeras de vigilância da agência assaltada registraram o momento em que Denisson foi baleado por um dos assaltantes.

Nas imagens, três homens armados entram na agência e anunciam o assalto. Após receber ligação anônima informando a situação, o policial foi sozinho até a unidade.

As imagens mostram o momento em que, antes de entrar, Denisson é baleado por um dos homens que estava dentro do banco. Ele se desequilibra e cai com a mão no rosto. Em seguida, dois homens deixam a agência, enquanto um terceiro, que estava do lado de fora, se aproxima e chuta o soldado. O delegado afirma que o PM ainda foi baleado outras vezes quando estava caído.

Indignado o governador Rui Costa desabafou. “Eu lembro que esse policial tem filho, tem filha, tem esposa, tem família. Às vezes o foco é exclusivamente [e a minha crítica vai para o exclusivamente] quando o óbito acontece com uma pessoa que está envolvida com algum ato criminal. Mas quando é com um policial, infelizmente não há a mesma indignação que há. Eu quero manifestar toda a minha indignação tanto quando há a morte de um policial quanto de qualquer pessoa civil”, desabafou.

Em sua Fanpage o coronel Anselmo Brandão, comandante da PMBA também registrou o seu pesar.
 









Fonte: Bahia Hoje e

Plantão Itabuna. 

Curta e compartilhe nossa Fanpage e saiba mais... www.facebook.com/sitejornalisando

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]